20091020

algumas indetectáveis dimensões da realidade

Ao ficcionista importa também, a par de outros desígnios transcendentes igualmente nobres, conseguir trazer para o seu texto algo que seja importante na contemporaneidade que o cerca. A tarefa tem um grau denso de dificuldade, porque o que realmente pode ser decisivo é muitas vezes indetectável. Na verdade, é sempre possível ficcionar sobre o que é de fácil apreensão - os traços e enredos dominantes - ou, claro, improvisar a partir do olhar próprio. Mas entender as dimensões decisivas da realidade contemporânea poderá ser um pouco mais crítico. A investigação jornalística pode ser um bom ponto de partida, e a investigação académica, quando não ignora o trabalho no terreno, é igualmente uma boa base de aprofundamento. No entanto, fica sempre uma parte do objectivo para cumprir. Conhecer e ganhar a confiança daqueles que possuem a informação, num primeiro momento, pesar esta última após a sua posse, e, deixado o tempo cumprir o seu papel em paz, moldá - la a personagens e a uma narrativa aceitável, é um grande desafio. A partir da realidade portuguesa o desafio é ainda maior, não só porque quase tudo do que importa é indetectável, como essas invisibilidades são extremamente interessantes.

Sem comentários:

Publicar um comentário